Vila A Mais

O lançamento do concurso nacional de arquitetura para a construção do Eco Parque Itaipu foi realizado na manhã desta segunda, 19.

Os moradores da Vila A e região serão contemplados pela criação de um Eco Parque com conceito de tecnologia 5.0 voltada ao bem-estar das pessoas e conservação do meio ambiente, que contará com tecnologias como wi-fi gratuito, reconhecimento facial, medição de temperatura corporal, entre outras, no espaço de área verde que pertence à Itaipu, localizado em torno do Córrego Jupira, entre as avenidas Garibaldi, Andradina e Paraná, e a rodovia BR -277. O espaço com 100 mil hectares é circundado por uma ciclovia com 4.800 metros de extensão. 

A diretoria da Itaipu Binacional, juntamente com o Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), Departamento do Paraná, realizou no Centro de Recepção de Visitantes da Itaipu (CRV), na manhã desta segunda-feira (19), uma coletiva de imprensa para o pré-lançamento do concurso nacional de arquitetura para a construção do Eco Parque Itaipu. “O concurso será nacional, entretanto escritórios de arquitetura do Paraguai, países do Mercosul ou de outros países também poderão participar, caso tenham representação local.” Explica o diretor-geral brasileiro da Itaipu, almirante Anatalicio Risden Junior, complementando que o objetivo é construir na cidade de Foz do Iguaçu um parque sustentável e tecnológico que tenha um impacto ambiental mínimo, “e o nosso presente para a cidade de Foz do Iguaçu, algo que sirva tanto como ponto turístico quanto espaço de passeio para os moradores.” Complementa o almirante.

Foz do Iguaçu e muitas cidades brasileiras têm um déficit ambiental bastante grande e essas áreas verdes quando existem são pouco acessíveis à população, e em Foz, mesmo com a existência de muitas áreas verdes, havia a necessidade da criação de um espaço como este, o  local onde será desenvolvido o Eco Parque foi a primeira área que a Itaipu realizou trabalhos de recuperação florestal e que para tornar possível a nova  ideia, estudos tecnológicos e ambientais continuaram sendo feitos, foi o que explicou o Superintendente de Gestão Ambiental da Itaipu Binacional, Ariel Scheffer: “Realizamos um estudo de tendências de uso e chegamos a um conceito inédito no mundo. Um parque com trilha sensorial para o desenvolvimento das crianças, uma trilha pensada em conjunto com médicos, com foco na recuperação de pacientes que passaram por cirurgias cardiovasculares e outra trilha no estilo Mountain Bike, para bicicletas, entre outras, ou seja, um Eco Parque que leva o conceito de tecnologia 5.0 que é a tecnologia para a sociedade e que consiste na aplicação de várias tecnologias para obtermos informações de tudo o que acontece lá dentro, desde a visitação turística, local, até mesmo informações sobre a ação da natureza dentro do espaço.” Pontua.

Em relação ao turismo, o impacto que se prevê é positivo. Enfatizou Yuri Benites, presidente do Conselho Municipal de Turismo (COMTUR), de Foz do Iguaçu, tendo em vista que o Eco Parque viria de modo a aumentar a interação entre turistas e moradores locais, trazendo uma experiência imersiva a quem vem visitar Foz. “Este projeto vem auxiliar no desafio de conciliar a cidade com os turistas, porque traz a visão do turismo que quer a interação com a comunidade local, quer saber onde os moradores jantam e lugares que frequentam. Ou seja, oportuniza o turista de encontrar com o cidadão, coisas que nem sempre a gente consegue realizar.” Destaca.

O site já funciona a partir de hoje no endereço eletrônico concursoecoparqueitaipu.com como explica Jeferson Dantas, presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), “é fundamental destacar a busca pela qualidade, uma vez que seguindo o processo natural do concurso com a divulgação do edital, se fixa o preço, o prazo e se abre uma chamada pública” esclarece.

Lançamento do Concurso Nacional de arquitetura para construção do Eco Parque na Vila A

Para o Diretor de Coordenação Geral da Itaipu Binacional, General Luiz Felipe Carbonel, Foz terá um Eco Parque diferenciado não só no Brasil, como também no exterior. “As duas intenções eram, primeiro dar um presente para Foz do iguaçu, uma vez que as obras realizadas por Itaipu proporcionam com que o turista venha a Foz do iguaçu, tanto os estrangeiros quanto os brasileiros e o que se gostaria de acrescentar a esse conjunto é fazer com que as pessoas permanecessem aqui por mais tempo, assim chegamos ao conceito de trilhas deste tipo, um Eco Parque moderno e diferenciado voltado a aplicação de tecnologias junto ao meio ambiente.” Enfatiza.

O diretor-geral brasileiro de Itaipu, almirante Anatalício Risden Júnior pontua que a Usina de Itaipu é muito conhecida mundo afora pela geração de energia limpa e pelo desenvolvimento ambiental e social da região, mas que com esse projeto o foco também era ajudar a tornar Foz do Iguaçu uma cidade ainda mais turística. “Tornar Foz do Iguaçu o primeiro local de destino de estrangeiros no Brasil constrói-se com pequenas ações e pequenas atitudes, e esta é uma delas.” Finaliza. 

2 respostas

  1. Nossa que maravilha esses investimentos além de atrair atenção dos turistas para visitar Foz do Iguaçu, nós proporciona um bem estar muito valioso. Maus parabéns a todos os Gestores de Itaipu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *